O vestí­gio de um gesto meu

«O vestígio de um gesto meu, e estou a pensar num traço, vai ter esta qualidade única de ser o meu gesto e o meu traço. É claro que a identidade se define numa espécie de infraní­veis, por vezes difí­ceis de identificar, o que não contradiz a afirmação de que o resultado, em marcas dos gestos que eu faça, transporta toda a minha história consciente e não consciente, a minha vida no mundo e a minha vida dentro de mim.»
Ana Leonor Madeira Rodrigues.
Prova de contacto feita em Corel Draw, ampliação em papel fotográfico, baseado em «homenagem a M. Ray.
©Alexª
Enviar um comentário