Passo a «bola»

Tenho por hábito quebrar a maioria das «correntes» que me invadem a caixa de correio. Quebro-as porque aqui chegam e ficam. Atrevo-me a deixar que esta «corrente bloguista» avance, até porque o desafio foi, daqui, lançado... e agora?
Agora, escolho 5 livros que a vida, por diversos motivos, me fez NÃO ESQUECER:
1) O livro do desassossego de Fernando Pessoa, recordo-o pelo timbre filosófico onde emerge o quotidiano e... por ser um magnifico produto do Instinto;
2) Metamorfose de Kafka pela força das palavras vomitadas pela verdade que abraça imagens enganadoras (ou A morte em Veneza de Thomas Mann, que escolho pela intensidade, paixão e... pela beleza, «aquela beleza» e aqui não consigo decidir);
3) A tentação de existir de E.M Cioran que reflecte nos «sins» e «nãos» da sociedade e que por diversas ocasiões me empurrou para o inconformismo;
4) Os passos em volta de Herberto Helder. O lugar dos lugares porque somos escritos e descritos vezes sem conta. É um registo intrigante das virtudes da imaginação;
Por último, aquele que deve ter sido, o primeiro de todos os que a minha memória tem registo e do qual, infantilmente, não me separo. O meu velho e pequeno livro: 5) A Fuga de Wang-Fô de M. Yourcenar, Ilustrado por Georges Lemoine. Fez-me acreditar, muito cedo, que a arte deve ser vivida com intensa verdade e que a vida, essa deve de ser «inventada».

Como se vê é uma inevitabilidade, eu passo a bola à Ana, Margarida, Paulo Pacheco, Sandokan e ao Zertur e espero que se circule por aí.

©ALEXª 07
Enviar um comentário