A jovem noite

Já as lustrais águas da noite me absolvem das muitas cores e das formas. Já no jardim as aves e os astros exaltam o regresso ansiado das antigas normas do sonho e da sombra. Já a sombra selou os espelhos que copiam a ficção das coisas. Melhor disse Goethe: O próximo afasta-se. Essas palavras condensam todo o crepúsculo. No jardim as rosas deixam de ser as rosas e querem ser a Rosa.
A jovem noite,Jorge Luis Borges, Os conjurados
Enviar um comentário